Guia da higiene íntima da mulher

Higiene íntima é parte fundamental da nossa rotina e deve ser feita adequadamente para não prejudicar a saúde íntima da mulher. Pode parecer que esta é uma questão sobre a qual não temos dúvidas mas, apesar de aprendermos a fazer a nossa higiene íntima na infância, muitas mulheres não sabem quais os cuidados a ter para fazer uma correta e adequada higiene íntima e assim, evitar doenças. Por outro lado, continuam a existir muitos mitos quando se fala sobre este tema.

Guia da higiene íntima da mulher

Que produtos devemos usar para lavar a zona genital diariamente?

A parte exterior dos genitais deve ser lavada com água tépida utilizando o gel de banho ou sabonete que usamos para o resto do corpo, porém se tens infecções com alguma regularidade, a conversa é outra.

O pH do gel de banho é alcalino, e utilizá-lo na higiene íntima pode causar irritações. Por isso quando falamos de higiene íntima, deve substituir-se o tradicional gel de banho por produtos específicos para a higiene íntima com um pH adequado e à base de ácido lácteo, os quais podes encontrar na farmácia, e assim reequilibrar o pH dessa zona.

Os sabonetes íntimos possuem um grau de acidez semelhante ao da região genital, o que ajuda a manter o equilíbrio e reduz a probabilidade de irritação na vagina mesmo em dias de muito calor ou durante atividades em que a transpiração é maior, como por exemplo, durante a prática de exercício físico. Os sabonetes com PH neutro ou os sabonetes de glicerina também são indicados para a higiene íntima da mulher, pois por norma não irritam a pele.

Atenção! Não é aconselhado usar sabonetes íntimos diariamente, também estes acabam por prejudicar a flora vaginal. Não só não devem ser usados diariamente como devem ser usados em pequenas quantidades ou diluídos na água que vamos utilizar para fazer a nossa higiene íntima.

Quantas vezes por dia se deve lavar a zona genital?

Regra geral, 1 a 3 vezes. Claro que tudo depende do clima, da atividade física e doenças associadas. Por outro lado, após o contacto íntimo, isto é após a relação sexual ou após uma atividade física deve lavar-se a área genital externa para evitar que o suor e outras secreções causem irritações. O mesmo se aplica durante a menstruação em que a higiene deve ser mais frequente o que não quer dizer que se lave a zona genital 20 vezes ao dia. Nada disso!

É preciso lavar o interior da vagina?

Não. A vagina tem microorganismos protetores necessários ao seu equilíbrio e saúde pelo que desinfetar o seu interior com anti sépticos, vai eliminá-los, deixando o caminho livre para fungos como a candida albicans, responsável pela candidíase. Além disso, a vagina faz a sua auto limpeza através de secreções que depois são expelidas, o chamado corrimento. O que necessita de ser lavado é a área exterior onde essas secreções se acumulam, para retirar o seu excesso.

Esponja: usar ou não usar?

Não é aconselhado usar esponja durante o banho muito menos durante a tua higiene íntima. Caso não saibas, as esponjas são o habitat perfeito para fungos e bactérias. A sua utilização implicaria perder tempo a lavá-las muito bem como a trocá-las com a máxima frequência. Um investimento desnecessário, não concordas?

Os duches vaginais são aconselhados?

Não. Os duches vaginais ou irrigações podem ser um problema pois trata-se da lavagem do canal vaginal com água ou com uma solução de água que pode conter um anti séptico. Devido à pressão com que água sai estes não devem, nunca, ser apontados diretamente para a vagina. O melhor mesmo é usar o bidé ou uma bacia. Os duches vaginais podem ser aconselhados pelo médico com o objetivo de aliviar uma infecção, mas só em casos pontuais, já que o corrimento é o mecanismo de auto limpeza que a vagina possui para eliminar os germes.

Os duches vaginais ou irrigações são também usados como método contracetivo após uma relação sexual, contudo este procedimento não é um método contracetivo!

Usar papel higiénico com perfume ou lenços humedecidos e perfumados faz mal? E pensos diários?

Usar papel higiénico com perfume ou lenços humedecidos e perfumados não faz mal desde que os uses apenas em algumas situações, por exemplo se estás fora de casa, o que não quer dizer que os possas usar sempre. Usar papel higiénico perfumado ou lenços humedecidos e perfumados em excesso pode provocar pele seca na vagina e irritações o que, na maioria dos casos resulta na eliminação da lubrificação da pele. Os pensos diários são grandes inimigos da região genital pois, quando usados diariamente podem provocar corrimentos, comichão e infecções.

Se utilizas pensos higiénicos na altura da menstruação fica a saber que os deves trocar a cada quatro horas, mesmo que o fluxo menstrual seja pouco. Nesta situação, já se justifica teres na mala um lenço humedecido.

Depilação sim ou não?

Fazer a depilação já esteve mais na moda, pelo menos quando se fala de depilar além da linha do biquíni. A depilação integral da região vaginal não é aconselhada pois favorece o crescimento de micro organismos o que aumenta o corrimento vaginal logo favorece o aparecimento de doenças. Fazer a depilação com Gillette ou produtos específicos para eliminar os pelos também não é indicado visto que destroem a camada protectora da pele e tal como os lenços humedecidos, eliminam a lubrificação natural da pele.

Passar a Gillette e usar produtos específicos para depilação mais de 3 vezes por semana também não é aconselhado pois prejudica a saúde íntima.

E quanto ao vestuário?

No dia-a-dia deves evitar usar roupa justa e de tecido grosso. A tua opção devem ser as roupas mais leves e de tecidos mais finos e confortáveis. No que toca à roupa interior, o assunto é um pouco mais delicado já que tem grande influência na higiene íntima da mulher. Se a opção for roupa interior de materiais sintéticos estes dificultam a transpiração da pele logo a quantidade de suor potencia o aparecimento de doenças como a candidíase ou infecções vaginais, por exemplo. Deves usar roupa interior de algodão ou de tecidos que facilitem a transpiração e ventilação da vagina. Deves trocar a roupa interior diariamente, se possível de manhã e à noite depois do banho ou de te lavares.

Não deves deixar o biquíni molhado em contato com o corpo durante longos períodos de tempo. Sempre que fores à praia ou à piscina lembra-te de levar um para troca, assim evitas uma irritação ou infecção na região genital.

E tu, como fazes a tua higiene íntima?