Livros com personagens femininas fortes

Os livros fazem companhia, inspiram, e ajudam-nos nas nossas vidas confusas, especialmente aquelas personagens com as quais nos identificamos. Confere abaixo uma lista de livros que tens mesmo de ler.

 

 

 

Não se pode subestimar o poder da literatura. Um bom livro pode levar-nos às lágrimas, arrancar-nos gargalhadas ou ajudar-nos a ultrapassar uma fase difícil das nossas vidas. Recomendo-te 8 livros com personagens femininas fortes, ou completamente badass, que tens mesmo de ler.

 

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

Elizabeth Bennet é uma de cinco irmãs, a protagonista deste clássico e um ícone da literatura feminista.

Este livro conta a sua história e a forma como não se deixou vencer pelos costumes da época, aqueles em que invariavelmente as mulheres não tinham opinião ou, pelo menos, não podiam expressá-la livremente.

 

 

A Campânula de Vidro, de Sylvia Plath

O único romance de Sylvia Plath, considerado semi-autobiográfico, é narrado por Esther Greenwood, uma rapariga de 19 anos que está a descobrir o mundo e a si mesma.

Questionando vários dogmas da sociedade, na década de 50, Esther passa por tempos conturbados. No entanto, nunca perde a vontade de lutar contra as convenções da sociedade, tomando diversas decisões, enquanto mulher, que lhe permitem ser mais independente e viver a sua vida de uma forma mais livre.

 


As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley

Este livro é tão misterioso como o seu nome. Um livro de bruxas e feiticeiras, em que as personagens femininas são protagonistas. Guinevere, Morgana e Morgause são algumas das mulheres incrivelmente fortes do reino de Avalon, que influenciam o Rei Artur e todos aqueles que o rodeiam.

 

 

Persépolis, de Marjane Strapi

Apesar de ser uma biografia em banda desenhada, a protagonista Marjane Strapi mostra-nos a luta que travou contra a desigualdade desde criança quando, aos 10 anos, foi obrigada a usar o véu islâmico. Este é um livro que nos mostra uma realidade onde a intolerância e a falta de liberdade imperam, mas cuja mensagem profundamente humana é realmente relevante nos dias que correm.

 

 

As Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

Este livro é considerado literatura ligeira, mas tem muito que se lhe diga. Apesar de ser direcionado a um público mais juvenil, nem sempre é tão leve como aparenta ser.

A história fala de quatro irmãs, no século XIX, que estão na transição para a adolescência e idade adulta. Este é um livro que fala de emancipação feminina, cem anos antes desta acontecer, e de como nada na vida é fácil de atingir sem esforço e dedicação.

 

 

Trilogia Millennium, de Stieg Larsson

Ok, tecnicamente são três livros, não um, mas neles podes encontrar Lisbeth Salander, a coprotagonista desta trilogia, uma rapariga considerada “problemática”, mas que lida com os seus problemas como ninguém.

Inspirados por um acontecimento traumático na vida do autor, os livros abordam, entre outros, a violência sexual contra mulheres.

 


A Sibila, de Augustina Bessa-Luís

Em A Sibila, a escritora portuguesa retrata o sofrimento e a submissão a que a mulher era submetida, e também a luta pela mudança de condição, através de Quina, que era tão forte, tão humana e tão mulher como qualquer uma de nós.

 

 

As Meninas dos Chocolates, de Annie Murray

Este livro conta a história de três mulheres, Edie, Ruby e Janet, cujas vidas são marcadas por atribulações familiares e pelo início da Segunda Grande Guerra. Mas é o amor que sentem pela criança que é abandonada e deixada ao cuidado de Edie que vai transformar as suas vidas e fazer Edie encontrar uma vida e amor que nunca pensou existir.

 

 

Estes são apenas alguns livros de entre muitos, muitos outros, que nos ajudam a ver que os problemas que enfrentamos não são só nossos, e que não estamos sozinhas.

Outros nomes importantes a reter são, por exemplo, Clarice Lispector, Virginia Woolf, Isabel Allende, Laura Esquível. Porquê? Porque todas estas escritoras criaram personagens femininas fortes, mulheres incríveis, como elas, e como todas nós.