Necessitas de uma pílula do dia seguinte

O que é a pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte é um contracetivo de emergência que pode impedir uma gravidez não planeada após uma relação sexual não protegida ou por falha do método contracetivo.

Como funciona a pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte atua atrasando a ovulação, no caso desta ainda não ter ocorrido. Isto significa que os espermatozoides que estejam nas trompas de Falópio não vão poder fecundar o óvulo.
A pílula do dia seguinte não tem qualquer efeito se a ovulação já tiver ocorrido, isto quer dizer que, a pílula do dia seguinte não interrompe uma gravidez em curso.

Quando tomar a pílula do dia seguinte

 
São vários os cenários em que podes necessitar de recorrer à contraceção de emergência:
 

  • Esqueceste-te de tomar a pílula mais de um dia, estavas doente ou vomitaste
  • Não usaste preservativo ou este rompeu-se acidentalmente
  • Utilizaste de forma errada o adesivo ou o anel vaginal
  • Falha no coito interrompido
  • Não usaste nenhum método contracetivo
  • Tomaste antibiótico ao mesmo tempo que o teu contracetivo habitual.
  • Outras situações que não encontres aqui descritas, ou no caso de dúvida, consulta o teu médico ou farmacêutico.

 

trombonebackbottom

Que tipo de pílulas existem?

Existem dois contracetivos orais de emergência disponíveis no mercado. Os princípios ativos são:
Acetato de Ulipristal

Lançado em 2009, o Acetato de Ulipristal, é um princípio ativo capaz de atrasar a ovulação mesmo quando está prestes a ocorrer1 , que é quando o risco de engravidar é maior.

Em Portugal é vendido com o nome ellaOne e está indicada até às 120 horas após a relação sexual desprotegida ou a falha do contracetivo utilizado.

Levonorgestrel

Esta substância ativa foi lançada pela primeira vez em 1999 e está indicada até às 72 horas após a relação sexual desprotegida ou a falha do contracetivo utilizado.
 

Qual a eficácia da pílula do dia seguinte?

O mecanismo de ação da contraceção oral de emergência é inibir ou atrasar a ovulação, para que não seja libertado nenhum óvulo. A dose é um único comprimido, que deve ser tomado o mais cedo possível após relações sexuais não protegidas, já que a sua eficácia é maior nas primeiras 24 horas.

Referências

  1. Brache V et al. Contraception 2013; 88(5): 611-618

ellaOne 30 mg comprimido Indicado na contraceção oral de emergência, destina-se a prevenir a gravidez depois de uma relação sexual não protegida ou em caso de falha do método contracetivo. O comprimido de ellaOne deve ser tomado assim que possível, e não mais tarde do que 5 dias (120 horas) após a relação sexual. Cada comprimido contém 30 mg de acetato de ulipristal. Não tome ellaOne se tem alergia ao acetato de ulipristal ou a qualquer outro componente deste medicamento. Adequado para qualquer mulher em idade fértil, incluindo adolescentes. Pode ser tomado em qualquer momento do ciclo menstrual. Pode ser tomado em qualquer altura do dia, com ou sem alimentos. Caso vomite até 3 horas após ter tomado o comprimido, tome outro comprimido assim que possível. Não atua se já estiver grávida nem interrompe uma gravidez existente. Não utilizar como contraceção regular. A contraceção de emergência é um método ocasional e não é eficaz em todos os casos. Em cada 100 mulheres que tomam ellaOne, aproximadamente 2 ficam grávidas. Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar ellaOne: se o seu período estiver atrasado ou se tiver sintomas de gravidez; se sofrer de asma grave; se sofrer de uma doença grave do fígado. Este medicamento pode tornar os contracetivos hormonais regulares temporariamente menos eficazes. Se estiver atualmente a tomar contraceção hormonal, continue a utilizá-la como é habitual depois de tomar ellaOne, mas use preservativo sempre que tiver relações sexuais até voltar a ter o período. Não utilize ellaOne juntamente com outro contracetivo de emergência que contenha levonorgestrel. Não deve amamentar durante uma semana após a toma deste medicamento. Se o seu período estiver mais de 7 dias atrasados ou se experienciar sintomas de gravidez depois de tomar ellaOne, deve fazer um teste de gravidez. A contraceção de emergência não protege de infeções sexualmente transmissíveis. Contém lactose. Leia atentamente o rótulo e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas consulte o seu médico ou farmacêutico. Medicamento não sujeito a receita médica de dispensa exclusiva em farmácia. Data da revisão: abril 2016 Titular de AIM: Laboratoire HRA Pharma, 15 rue Béranger, 75003 Paris, França, NIF: FR 67 420 792 582 Representante local: HRA Pharma Iberia, S.L., Sucursal em Portugal; Av. da Liberdade, 110, 1º, 1269-046 Lisboa; Portugal.