Como manter uma relação à distância

As relações à distância requerem muita dedicação, compreensão e resiliência. Será que o amor vence tudo?

Relações à distância: guia de sobrevivência

Estar numa relação à distância nunca é fácil. Requer muita dedicação, paciência, compreensão, e mesmo assim há sempre momentos difíceis e desesperantes onde parece que não há futuro. Mas, também há momentos bons e inesquecíveis, amores que duram uma vida inteira.

Vê dicas de como sobreviver a uma relação à distância, de pessoas que as viveram. Aprende a superar certos desafios e a fazer a relação crescer, mesmo com todas as dificuldades!

 

A tecnologia é um aliado, mas não o único

Atualmente é mais fácil manter uma relação à distância do que era há uns anos, e a tecnologia tem um grande papel nisso. No entanto, depender apenas da tecnologia (chats, videochamadas, sms, redes sociais) não é suficiente para que uma relação funcione.

Nunca subestimes o poder que algo palpável tem, para te manter ligada ao teu mais que tudo. Pode ser uma t-shirt com o cheiro dele, um postal divertido, um pequeno presentinho que vem no correio, um “care package”, o que for. Sabes aquela sensação de receber alguma coisa, por mais pequena que seja, que foi ele que enviou ou que fez? Então pensa no quanto ele iria gostar que tu o fizesses.

“O meu namorado vivia em Espanha e viajava muito em trabalho, dentro do país. Sempre que visitava uma cidade diferente, enviava-me um postal! Às vezes era apenas uma frase simples, mas fazia-me muito feliz receber aquelas surpresas dele!” – Marta, 32

 

Tentem ajustar ou adaptar as vossas rotinas

Estar numa relação à distância pode envolver diferenças horárias, além das diferenças de rotina. Por isso, é importante que tentem adaptar e ajustar, dentro do possível, as vossas rotinas.

Imagina que têm uma diferença horária e quando tu estás a acordar, já ele está a poucas horas do fim do dia. Têm que encontrar uma hora durante o vosso dia para falarem, para namorarem, para estarem juntos, à distância. Aqui, vai ser preciso fazer concessões, e é necessário que elas funcionem para os dois.

“O meu namorado é brasileiro e durante dois anos vimo-nos apenas 5 vezes. Estávamos com uma diferença de 6 horas. Quando ele se ia deitar, eu ainda estava a meio do meu dia. Escolhíamos a hora de almoço dele, que era a hora a que eu acordava, para falarmos um bocadinho por telefone, e depois mandávamos mensagens ao longo do dia.” – Inês, 27

 

Assegura-te de que querem a mesma coisa

Em geral, as relações à distância são menos stressantes e mais felizes quando a distância é percebida como temporária. O que quer isto dizer? Que, se tiverem planos de futuro em conjunto, como ir viver juntos em x anos ou mudarem-se para o mesmo país, é mais fácil aguentar a dor de estarem separados, em comparação com não terem qualquer plano.

Conversem e tentem perceber onde é que esta relação vai dar, se ambicionam as mesmas coisas, e se vão conseguir estar juntos num futuro mais ou menos próximo. Sabes se a tua relação tem futuro?

“A nossa relação não funcionou porque eu estava contente com o meu trabalho e a minha vida na Grécia, e ele não queria mudar-se para lá, nem sair do país dele, Itália. No fim, percebemos que não queríamos as mesmas coisas, e a relação terminou.” – Anne, 31

 

Comuniquem muito, mas com qualidade

Quando estás numa relação e as oportunidades para conversar são escassas, é importante saber selecionar o que importa e o que não importa. Queres mesmo perder tempo a detalhar aquela discussão pouco importante que tiveste no trabalho, ou preferes usá-lo para saber como foi o dia dele, ou para lhe contares sobre aquele projeto em que vais participar?

Quando o tempo é pouco, é preciso saber usá-lo e fazer aquela conversa valer um dia inteiro. Vê dicas para seres uma pro em conversa de almofada!

“Eu estava muito focado nos meus problemas e só falava com a minha namorada sobre isso. Chamadas, mensagens… tudo girava à volta do meu descontentamento com o trabalho. Depois percebi que se tinham passado dias e eu não tinha perguntado nem uma vez como é que o dia dela tinha sido. Senti-me muito mal, mas felizmente ela compreendeu e fui a tempo de corrigir!” – António, 28

 

Quando estiverem juntos, deixem tempo para a espontaneidade

Um erro muito comum dos casais em relações à distância é planear em demasia o tempo que vão estar juntos. De manhã vão visitar família, à tarde vão a uma exposição, à noite ver amigos, e no dia seguinte têm aquela festa.

Então e o tempo para verem filmes na cama e namorar? Bem sabemos que esse overplanning é porque querem fazer cada momento valer, mas às vezes as pequenas coisas são mais importantes e mais necessárias.

“Como só nos víamos uns dias de três em três meses, tentávamos planear dias divertidos, mas reservávamos pelo menos um dia para “não fazer nada”. Ficávamos de pijama em casa, só um com o outro, a namorar, a sermos nós próprios. Eram aqueles pequenos momentos que me faziam mais falta.” – Lisa, 26

 

Façam coisas juntos mesmo quando estão separados

Algo que pode magoar muito uma relação à distância é o facto de nunca fazerem as mesmas coisas, de terem vidas diferentes, amigos diferentes e principalmente rotinas diferentes.

Então, algo que pode aproximar-vos mais é fazer coisas ao mesmo tempo, e onde ambos possam participar. Discutam aquela notícia que está em todos os jornais, guiem-se um ao outro através de uma receita, façam uma maratona da vossa série favorita… o que importa é estarem “juntos”, mesmo a muitos quilómetros de distância.

“Às quintas-feiras tínhamos o hábito de ver um filme, o mesmo e ao mesmo tempo. Às vezes estávamos numa chamada enquanto o filme durava e fazíamos comentários. Era como se estivéssemos no cinema juntos, mas em lugares afastados!” – Cris, 25

 

A confiança é chave

A regra número um para qualquer relação é a confiança, e as relações à distância não são exceção. De facto, é mais difícil manter um sentimento de confiança mútua quando não vês fisicamente o teu namorado durante longos períodos de tempo.

É normal sentir ciúmes, alguma insegurança e muitos medos, o que não é normal é querer controlar o outro. Permite-te confiar no teu parceiro, e deixa que ele confie em ti. Já nem falando da infidelidade, não te esqueças de estar disponível para aquela chamada como tinhas dito que estarias, de tirares um tempo para conversarem sobre aquele tema mais sensível, e de seres sempre honesta sobre os teus sentimentos. Afinal, se estão juntos é porque gostam um do outro, certo?

“Foi uma época bastante má, estava a sufocá-lo. Estava sempre com ciúmes, e não conseguia parar de pedir-lhe “provas” de que ele estava onde e com quem dizia que estava. Tive que parar e repensar a minha atitude. Custou, mas decidi confiar nele e não ser controladora. Valeu a pena!” – Natália, 25

 

Em ellaone.pt, encontrarás todas as informações sobre a pílula do dia seguinte ellaOne®.