Métodos de contraceção regular: vantagens e desvantagens de cada um

Pílula, implante, preservativo, adesivo…. Quais são, afinal, os métodos de contraceção regular e quais as vantagens e desvantagens?

O que é a contraceção regular? É toda a forma de contraceção que se toma ou aplica de forma sistemática, não tendo efeitos permanentes na fertilidade. É importante fazer esta distinção entre contraceção definitiva – como a laqueação de trompas ou vasectomia –, contraceção de emergência – ou a pílula do dia seguinte – e a contraceção regular. Será que sabes tudo sobre contraceção?

 

Contraceção regular: o teu guia

Protegeres-te de uma gravidez não planeada é muito importante e, felizmente, mais fácil do que pensas. Há imensos métodos de contraceção regular por onde escolher.

 

Contraceção regular hormonal

Os métodos contracetivos hormonais são todos aqueles que inibem a ovulação através da libertação de hormonas na corrente sanguínea. Lembra-te que os contracetivos hormonais podem ter efeitos secundários associados como aumento ou perda de peso, dores de cabeça, vómitos, náuseas, alterações no ciclo menstrual, tensão mamária, entre outros.

 

ORAL

A contraceção hormonal oral, mais chamada de pílula contracetiva, é um dos métodos de contraceção regular mais usados. Este contracetivo é tomado diariamente. Há, essencialmente, dois tipos: a pílula combinada e a minipílula. A pílula combinada usa uma combinação de estrogénio e progestagénio e pode ser:

  • Monofásica (todos os comprimidos têm a mesma dosagem);
  • Bifásica (comprimidos com duas dosagens diferentes);
  • Trifásica (comprimidos com três dosagens que visam imitar o ciclo menstrual)

A pílula de progestagénio, ou minipílula, contém apenas progestagénio e é usada por mulheres que não podem tomar estrogénios.

Vantagens:

  • Pode regularizar os ciclos menstruais;
  • Melhora a tensão pré-menstrual e a dismenorreia;
  • Não afeta a fertilidade;
  • Diminui o risco de Doença Inflamatória Pélvica (DIP);
  • Diminui o risco de cancro do ovário e do endométrio e a incidência de quistos funcionais do ovário e a doença poliquística.

Desvantagens:

  • É necessária uma toma diária e regular dos comprimidos;
  • Não protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

Esqueceste-te de tomar a pílula? Vê o que fazer a seguir!

 

ADESIVO CUTÂNEO

O Adesivo cutâneo, adesivo transdérmico ou simplesmente adesivo, é também um método contracetivo regular hormonal que atua pela libertação de hormonas através da pele, sendo colado numa zona sem pelo (braço, nádega, coxa, etc).

Vantagens:

  • É de uso semanal, pelo que não tem que pensar todos os dias em contraceção, apenas tem que se lembrar de mudar uma vez por semana o adesivo;
  • É fácil de usar;
  • Normalmente torna as hemorragias regulares, mais curtas e menos dolorosas.

Desvantagens:

  • Não protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

ANEL VAGINAL

O Anel vaginal é um anel flexível, transparente e com cerca de 5 cm de diâmetro que se insere na vagina no primeiro dia do ciclo e se retira no 21º dia. Há uma semana de pausa, e tem que voltar a ser colocado no primeiro dia do ciclo seguinte.

Vantagens:

  • É de uso mensal, pelo que só tens de te lembrar de o pôr e de o tirar;
  • Não interfere com as relações sexuais – não precisas de tirar o anel;
  • Não precisas de retirar o anel para fazer o exame ginecológico.

Desvantagens:

  • Não protege contras as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

IMPLANTE CONTRACETIVO

O implante contracetivo ou implante hormonal contém apenas progestagénio e é um pequeno bastonete que é inserido no braço debaixo da pele. Este implante tem uma eficácia de três anos, ao fim dos quais deve ser substituído por um novo.

Vantagens:

  • Tem eficácia superior a 99% e durante 3 anos;
  • Não interfere com a relação sexual e não requer a toma diária;
  • Apto para quem não tolera estrogénio;
  • Não interfere com a amamentação.

Desvantagens:

  • Tem de ser colocado por um profissional de saúde;
  • Não protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

INJEÇÃO CONTRACETIVA

A injeção contracetiva é um método de contraceção regular que consiste numa injeção de hormonas, aplicada no músculo, e que tem uma eficácia de cerca de 94%, durante 1 a 3 meses.

Vantagens:

  • Utilização discreta e prática;
  • Pode melhorar a qualidade do aleitamento;
  • Reduz o risco de desenvolver Doença Inflamatória Pélvica, gravidez ectópica ou carcinoma do endométrio;
  • Reduz as perdas de sangue.

Desvantagens:

  • Pode provocar irregularidades no ciclo menstrual;
  • O retorno aos níveis normais de fertilidade é mais lento;
  • Não protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

 

 

Métodos de barreira

Os métodos de contraceção regular de barreira, atuam impedindo a passagem dos espermatozoides para o útero, criando uma barreira física para os mesmos.

 

PRESERVATIVO FEMININO (INTERNO)

O preservativo feminino ou interno é um método de barreira e, virtualmente, não tem desvantagens relacionadas com a sua utilização. Este método de contraceção regular insere-se na vagina até seis horas antes da relação sexual.

Vantagens:

  • Protege de Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).
  • A sua utilização depende da mulher;
  • Não necessita de qualquer tipo de supervisão médica;
  • Não tem qualquer efeito na fertilidade.

Desvantagens:

  • Utilização é pouco divulgada;
  • Pode ser difícil de encontrar e ser mais dispendioso do que o preservativo masculino;
  • Se não for usado corretamente pode sair do lugar.

 

Conhece cinco razões para usares o preservativo feminino.

 

PRESERVATIVO MASCULINO

O preservativo masculino dispensa apresentações. É o método de contraceção regular mais conhecido no mundo, e um dos mais usados.

Vantagens:

  • Protege de Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).
  • Não tem qualquer efeito na fertilidade;
  • Não necessita de qualquer tipo de supervisão médica;
  • É de grande eficácia (quando usado corretamente);
  • É de fácil aquisição e utilização

Desvantagens:

  • Tem de estar disponível no momento da relação sexual.
  • Atenção com o estado de conservação e prazo de validade
  • Deve ser corretamente colocado (antes do inicio) e corretamente retirado

 

E sabes que há mais de 60 tamanhos de preservativos?

 

CAPUZ CERVICAL

O capuz cervical é um dispositivo de borracha que se insere na vagina e bloqueia a passagem dos espermatozoides. O capuz cervical deve ser inserido pouco tempo antes da relação sexual e não deve ser mantido na vagina por mais de 48h. Deve ser usado em conjunto com espermicidas para aumentar a eficácia.

Vantagens:

  • Pode ser usado sempre que precisar e é fácil de transportar e ter sempre à mão;
  • Não é afetado pelo uso de medicação;
  • Pode ser usado durante a amamentação;

Desvantagens:

  • O seu uso pode requerer prática;
  • Requer consulta inicial com um profissional de saúde para verificar o tamanho adequado;
  • Há risco de Síndrome do Choque Tóxico (tal como acontece com os tampões);
  • Não protege contras as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

 

DIAFRAGMA

O diafragma é um anel flexível envolvido por uma borracha fina, que impede a entrada dos espermatozoides no útero. Para assegurar o funcionamento correto do diafragma, este deve ser colocado dentro da vagina cerca de 15 a 30 minutos antes da relação sexual, e retirado no máximo 12 horas após o ato sexual. O diafragma não deve permanecer mais de 24h na vagina para evitar o risco de infeções ou de sofreres de Síndrome do Choque Tóxico.

Vantagens:

  • Diminui o risco de DIP;
  • Ausência de efeitos sistémicos;
  • Não interfere com o ato sexual, podendo ser inserido até 24 horas antes.

Desvantagens:

  • Dificuldade na utilização;
  • O uso deve ser associado ao de um espermicida;
  • É necessária a ajuda de um profissional experiente para avaliar o qual o tamanho correto do diafragma;
  • Não protege contras as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

DIU/SIU

O DIU, ou Dispositivo Intrauterino, é um pequeno dispositivo constituído por hastes finas, que se introduz na cavidade uterina. Pode ter vários formatos (geralmente em forma de T) e alguns libertam hormonas (SIU, Sistema-Intra-Uterino).

Vantagens:

  • Tem uma longa duração (3 a 5 anos);
  • Requer apenas um procedimento a cada 3 a 5 anos.
  • O SIU reduz as perdas de sangue.

Desvantagens:

  • Não protege das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST);
  • A ação contracetiva do DIU de cobre pode ser afetada pela toma de anti-inflamatórios;
  • O DIU de cobre pode aumentar o fluxo e as dores menstruais.

 

Espermicida

Os espermicidas são substâncias (normalmente em formato de gel, espuma, creme ou comprimidos vaginais) que eliminam a mobilidade dos espermatozoides. Deve ser introduzido na vagina até uma hora antes da relação.

Vantagens:

  • A sua utilização é controlada pela mulher;
  • Não precisa de receita médica;
  • Pode ser usado junto com outros métodos de contraceção regular;
  • Aumenta a lubrificação vaginal.

Desvantagens:

  • Não protege das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST);
  • Usado sozinho é muito pouco eficaz, devendo ser usado em conjunto com um método de barreira, preferencialmente.

 

E quando algo corre mal com o método contracetivo regular tens a pílula do dia seguinte. Consulta o guia prático da contraceção de emergência!

Em ellaone.pt, encontrarás todas as informações sobre a pílula do dia seguinte ellaOne®.

E para ti, qual é o teu método contracetivo preferido? Partilha!